Tudo o que você precisa saber sobre TDAH

12h00

Você conhece alguém que costuma chegar atrasado nos compromissos, dificilmente consegue terminar o que começa, tem dificuldades para se concentrar e muitas vezes fala a coisa errada na hora errada? Estas características podem indicar Transtorno do Déficit de Atenção e Hiperatividade: TDAH.

As pessoas que convivem com TDAH apresentam desatenção, agitação ou hiperatividade e impulsividade. Até pouco tempo acreditava-se que o TDAH acontecia apenas com crianças. Atualmente, sabe-se que alguns adolescentes e adultos mantêm o diagnóstico ao longo da vida.

Para uma pessoa ser diagnosticada com TDAH, ela deve ter no mínimo seis sintomas de desatenção e/ou hiperatividade e impulsividade. Além disso, o sintoma deve ser frequente e não acontecer apenas de vez em quando. Também deve se manifestar em diferentes lugares como em casa, no trabalho e na faculdade.

Conheça quais são os sintomas mais comuns de desatenção*:
• Não prestar atenção a detalhes ou cometer erros por descuido;
• Dificuldade para se concentrar em tarefas e/ou jogos;
• Não prestar atenção ao que lhe é dito (“estar no mundo da lua”);
• Dificuldade em seguir regras e instruções e/ou não terminar o que começa;
• Ser desorganizado com as tarefas e as matérias;
• Evitar atividades que exijam um esforço mental continuado;
• Perder objetos importantes com frequência;
• Distrair-se facilmente com coisas que não têm nada a ver com o que está fazendo;
• Esquecer constantemente compromissos e tarefas.

Os seguintes sintomas fazem parte do grupo de hiperatividade e impulsividade*:
• Ficar remexendo as mãos e/ou os pés quando sentado;
• Não parar sentado por muito tempo;
• Pular e correr excessivamente em situações inadequadas ou ter sensação de inquietude (“ter bicho-carpinteiro por dentro”);
• Ser muito barulhento enquanto joga ou se diverte;
• Ser muito agitado (“a mil por hora” ou “um foguete”);
• Falar demais;
• Responder às perguntas antes de terem sido terminadas;
• Dificuldade de esperar a vez;
• Intrometer-se em conversas ou jogos dos outros.

As causas do Transtorno ainda não são claras, mas a maioria das pesquisas apontam que existem alterações no funcionamento de algumas substâncias encontradas no cérebro. O tratamento é medicamentoso, acompanhado de psicoterapia e orientações psicopedagógicas para melhorar o aprendizado.

Muitas vezes esta pessoa acaba sofrendo outros transtornos simultâneos, como depressão e ansiedade, pois a falta de diagnóstico contribui para a diminuição da autoestima, dificuldades no relacionamento, isolamento e até solidão. Com estas informações você consegue identificar se uma pessoa apresenta os sintomas e precisa de ajuda. Você pode sugerir que ela procure um médico ou um psicólogo para fazer o diagnóstico.

Com quem conversar a respeito na Universidade?
Na Anhembi Morumbi, você conta com o apoio do NAP – Núcleo de Apoio Psicopedagógico, localizado no câmpus Vila Olímpia. Você pode entrar em contato com o NAP pelo e-mail nap@anhembi.br.

*Fonte: ROHDE, L. A; BENCZIK, E. B. P. Transtornos do Déficit de Atenção Hiperatividade: O que é? Como ajudar? Porto Alegre: Artmed, 2010.