Universidade Anhembi Morumbi alerta para combate ao mosquito Aedes Aegypti

11h01

O Brasil está diante de um cenário grave de emergência de saúde pública em razão da proliferação do mosquito Aedes Aegypti e suas consequências – a Dengue, a Febre Chikungunya e a transmissão do vírus Zika.

O mosquito já está presente em mais de cem países de clima tropical e já há confirmação de vírus Zika em 23 deles. Os recentes casos de microcefalia, que gera um grave comprometimento no sistema nervoso central de bebês de mulheres grávidas, foram relacionados a infecção por esse vírus. E, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), há uma previsão inicial de que 4 milhões de pessoas, sendo 1,5 milhão de pessoas no Brasil, possam ser afetadas pelos riscos da epidemia do Zika.

Simples ações podem combater a proliferação do mosquito e impedir uma possível epidemia. As larvas do Aedes Aegypti se desenvolvem em qualquer quantidade de água parada, por isso, é essencial manter tonéis e barris de água bem tampados, encher os pratinhos de planta com areia, manter garrafas vazias com a boca sempre virada para baixo e realizar manutenção de piscinas regularmente.

Outras medidas podem ser colocadas em ação para manter a casa livre desse inseto. Clique aqui e confira mais dicas.

A Universidade Anhembi Morumbi e o Ministério da Educação (MEC) estão em ação para ajudar o País a combater essa ameaça. Envolva-se nessa causa e acompanhe também as iniciativas de combate a transmissão do vírus Zika pelo endereço http://portal.mec.gov.br/zikazero/index.html.