Repórter Caco Barcellos participa da X Semana de Jornalismo

0h00

Os campi Centro e Vila Olímpia da Universidade Anhembi Morumbi abrigaram, entre os dias 6 e 8 de outubro, a X Semana de Jornalismo, em que os alunos tiveram a oportunidade de entrar em contato com importantes nomes da Comunicação brasileira.

A Semana teve como tema “Grandes Reportagens” e um de seus pontos altos foi a presença do jornalista Caco Barcellos, que falou sobre a história e a produção do Profissão Repórter, programa jornalístico da Rede Globo. “Normalmente, a dinâmica da redação do telejornalismo se divide em quatro grupos (rádio-escuta, produção, reportagem e edição), que nós eliminamos no programa. Nele, cada repórter faz a sua proposta de pauta, discutimos e escolhemos a melhor. Aquele que sugeriu o tema geralmente é o responsável pela matéria e participa da edição. É importante esse método, pois quando envolvidos no assunto, aumentam as chances de contar uma boa história”, explicou.

 Jornalista divide experiências com os estudantes
Jornalista divide experiências com os estudantes

 

Caco Barcellos falou, ainda, sobre a desigualdade social e a importância de criar mecanismos que contribuam para diminuir esse problema no projeto das Olímpiadas de 2016, pois, segundo ele, o vídeo que emocionou os jurados na escolha da cidade-sede enganou o júri ao esconder os problemas sociais da cidade.

O repórter deu uma importante dica para os jovens jornalistas: “A nossa categoria se tornou arrogante, como se fossem indivíduos de outra realidade. Precisamos nos livrar do preconceito de classe, até mesmo porque do ponto de vista de conhecer a realidade, os mais privilegiados economicamente são, na verdade, os mais ignorantes, pois não sabem como é a vida em uma favela”.

 Os alunos lotaram o auditório do campus Vila Olímpia
Os alunos lotaram o auditório do campus Vila Olímpia

 

Para o prof. Nivaldo Ferraz, coordenador do curso de Jornalismo, Caco Barcellos é um exemplo de jornalista vitorioso, porque está em uma espécie de topo entre o que o jornalista precisa fazer e o que quer fazer em sua profissão. “Tê-lo nesta Semana de Jornalismo foi uma forma de torná-lo mais real para os alunos, que puderam vê-lo, ouvi-lo e entrevistá-lo. Além disso, ele tem uma visão clara das questões sociais que produzem a violência nos morros cariocas. A facilidade da linguagem ao explicar problemas complexos de nossa sociedade foi uma dádiva para os alunos”.

A Semana

A X Semana de Jornalismo recebeu, ainda, Adriana Carranca (O Estado de S. Paulo), Eduardo Belo (Valor Econômico), Fabíola Cidral e Petria Chaves (CBN), Alessandro Abate (Lance!), Tatiana Merlino (Caros Amigos) e a repórter fotográfica Karime Xavier. “Com a presença dos profissionais, os estudantes estiveram muito interessados em conhecer suas rotinas e fizeram perguntas pontuais a respeito da profissão que abraçaram”, comentou o coordenador.

Segundo ele, promover este encontro é uma excelente oportunidade para os alunos conhecerem um pouco da rotina jornalística. “Na Universidade, os alunos estão para construir conhecimento de ciências humanas e para praticar em condições que nem sempre reproduzem o real do mercado, sobretudo no que diz respeito ao ritmo frenético que o jornalista tem de trabalhar para publicar suas matérias. Esse contato torna o sonho dos estudantes real. Eles conhecem pessoas que são como eles, apenas um pouco mais experientes, e dão as possibilidades do mercado. Quando o aluno volta para o curso depois das palestras, está um pouco mais realista quanto à sua profissão”.