Profa. Bernadette Lyra, coordenadora do Mestrado em Comunicação, ministrou palestra na Bienal Rubem Braga

0h00

A profa. Bernadette Lyra, coordenadora do Mestrado em Comunicação, participou como palestrante na Bienal Rubem Braga, em Cachoeiro do Itapemirim, Espírito Santo, no dia 8 de junho de 2008.

A Bienal tem como objetivo firmar-se como um dos mais importantes eventos literários e culturais do País, divulgando e colocando frente a frente ao grande público escritores, jornalistas e agentes culturais de renome.

A temática desta edição foi “Crônica e Meio Ambiente”, demonstrando de forma clara a preocupação com a degradação ambiental e buscando, por meio do viés literário da crônica, discutir de maneira lúdica, rica e interessante, novos caminhos para o assunto.

Para a profa. Bernadette ter participado da Bienal foi bastante gratificante, por se tratar de um evento que vem se destacando no universo cultural do País e conquistado importante reconhecimento da mídia especializada e do pensamento científico. “Prova isso foi o grande número de artistas, jornalistas, professores e alunos de instituições de todos os lugares que lotaram o pavilhão da Ilha da Luz, onde aconteceram as atividades”, ressalta.

Ela abordou o tema “A mulher na literatura brasileira” e conta que muitos assuntos decorrentes do tema estiveram em pauta, não apenas os ligados à estética da contemporaneidade, formulada dentro do universo feminino, “mas também questões relativas à cidadania e identidade, que dizem respeito a esse imenso contingente formado hoje pelas mulheres e que vem atuando, sem dúvida, para tornar o planeta melhor e mais harmonioso para todos os povos”, diz e completa: “O trabalho de todas as escritoras em conjunto forma uma obra essencial. Elas foram discriminadas – e por vezes ainda são – por tantos séculos e em tantos aspectos, que basta que uma mulher tenha a coragem de escrever e de publicar para que eu a considere uma parcela importante desse conjunto”, comenta.

A professora conta que a literatura é uma das formas de conhecimento do mundo, que faz parte do universo de experiências e de saberes. “Por meio das discussões e debates literários, podem ser abertas muitas trilhas em direção à comunicação contemporânea e à compreensão das sociedades em que vivemos”, finaliza.