Paixão por cinema faz da aluna Andréa Mendonça um novo talento na produção de curtas

0h00

Foi no ano de 2004 que Andréa Mendonça, então aluna de Produção Editorial da Universidade Anhembi Morumbi, começou a produção do seu primeiro curta-metragem, intitulado “Artistas Reunidos”. Finalizado em 2007, o documentário sobre seis músicos brasileiros da MPB, que entraram no cenário musical sem ajuda da mídia, hoje é sucesso em mostras e festivais, tanto no Brasil quanto no exterior.

Simoninha é um dos artistas apresentados no documentário
Simoninha é um dos artistas apresentados no documentário

“Acabo de receber um convite para exibir o curta Artistas Reunidos em Tóquio, no The Rabadas Cinema Clube, evento que exibe para japoneses e brasileiros que moram no Japão o cinema e a música feitos no Brasil. E como se trata de uma produção que fala de música brasileira, com músicos conhecidos no Japão, a curadoria do evento acredita que o curta fará sucesso entre os espectadores do evento”.

Atualmente, Andréa Mendonça cursa a pós-graduação em Cinema, Vídeo e Fotografia na Anhembi Morumbi, mas foi na graduação que descobriu a paixão pela sétima arte. “Foi uma fase de grandes descobertas, de abrir a cabeça. Tudo com a ajuda de alguns professores que, vendo o meu interesse pelo cinema, me emprestavam livros, filmes, me orientavam e até me levavam para festivais de cinema”, lembra a aluna.

Cena do documentário "Artistas Reunidos"
Cena do documentário “Artistas Reunidos”

O resultado da dedicação ao estudo do cinema rendeu, após o primeiro vídeo, outro curta, chamado “O Meu Olhar”, produzido em 2007 e listado para ser exibido na próxima Mostra de Curtas de Goiânia. A obra é uma ficção que retrata o cotidiano de um idoso, que ocupa prazerosamente seu dia rezando, bebendo café, lendo jornal e cochilando, na companhia de seu gato, uma viagem por suas memórias, em que o idoso observa, pensa, e é feliz em sua solidão.

No mês de agosto, ambos os curtas foram exibidos pela Cinemateca Brasileira, uma instituição responsável pela preservação da produção audiovisual brasileira que desenvolve atividades em torno da difusão e da restauração de seu acervo, um dos maiores da América Latina, com o intuito de divulgar e valorizar a produção cinematográfica.

Cena do curta O Meu Olhar
Cena do curta O Meu Olhar

Mas para Andréa, a experiência não foi novidade, já que seus curtas são constantemente convidados para serem exibidos em festivais, cineclubes e salas de cinema pelo País, como Cineclube da Universidade Estácio de Sá, Mostra do Filme Livre 2008, Festival Qisuco, MIS, Cinema Reserva Cultural, 1º Festival Ratoeira do Cineclube Beco do Rato, Evento Na Laje, Wonka Bar e até mesmo fora do Brasil, como no International Short Film Clermont (França) e no Jungle Cine Clube – Rich Mix Foundation (Londres).

Segundo a aluna, o incentivo para produzir curtas é a paixão pelo cinema. Com isso, está terminando as gravações do terceiro filme, Corpo em Cena, um documentário sobre o cenário da dança contemporânea carioca.

Nova produção de Andréa Mendonça, Corpo em Cena
Nova produção de Andréa Mendonça, Corpo em Cena

“A idéia é continuar a produção dos meus curtas, exibi-los nos festivais de cinema, e um dia dirigir longas. No futuro, quem sabe trabalhar mesmo com direção de cinema. Estou me especializado na área de vídeo-dança, com a qual pretendo trabalhar no futuro. Decidi cursar a pós-graduação para aprimorar minha pesquisa teórica em cinema iraniano, que pretendo dar continuidade em mestrado mais para a frente. Outro objetivo com a pós-graduação é dar aulas de cinema em cursos de graduação”, afirma a aluna.