“Meus resultados não foram como eu planejei. Foram ainda melhores.”

16h20

Paulo O’Meira, Ex-aluno de Arquitetura e Urbanismo e artista gráfico.

Pertencimento por meio da arte. Esse é o ponto de convergência profissional que o arquiteto Paulo O’ Meira define para sua trajetória. Formado pela Anhembi Morumbi em 2015, Paulo hoje exerce sua profissão voltada para as artes visuais e concebe lugares mesclando as pinceladas de seus murais aos projetos na prancheta.

A questão de ocupar lugares é presente na trajetória de Paulo desde a época da Universidade. “Sempre considerei o local dos meus estudos a extensão da minha casa. Ter identificação e pertencimento ao espaço de ensino estabeleceu uma relação única de aprendizagem com os professores dos mais diversos campos do conhecimento em um só local”, diz.

À época que Paulo ingressou na universidade já trabalhava como assistente e artista educador em um ateliê. “Considero como parte da minha formação de artista e pessoa. Atuei em duas grandes intervenções urbanas como artista educador naquele período”, conta.

A arquitetura entrou como formação para acrescentar significado à sua relação com os espaços que ocupava. “Como a arte pode inferir no convívio entre as pessoas e a cidade é uma questão que foi ficando cada vez mais presente para mim durante a Universidade”, conta Paulo. “Todo espaço que você ocupa te transforma de alguma maneira”, reflete.

Na Universidade não foi diferente. “A relação com grandes professores/mentores e amigos abriu muitos caminhos para serem explorados. Sendo assim, com o passar dos anos, as informações ficando mais claras pra mim, o que realmente me faz íntegro. E decidi trocar a mesa do escritório pelo ateliê chamado cidade”, conclui.