Jogo desenvolvido por professora concorre a prêmio internacional

0h00

Trabalho desenvolvido por Rachel Zuanon,do mestrado em design, foi selecionado por concurso que premia melhores das áreas eletrônica e digital

O BioBodyGame, criado pela professora Rachel Zuanon, do mestrado em design da Universidade Anhembi Morumbi, em parceria com Geraldo Lima, também mestre em design, é um dos 43 trabalhos selecionados pelo concurso FILE PRIX LUX 2010. A premiação escolhe, desde 2000, os melhores projetos do mundo na área das linguagens eletrônicas e digitais.  

O projeto da dupla consiste em um computador que permite ao usuário jogar usando seus sinais neurofisiológicos. A máquina reage ainda ao emocional do jogador, alterando o nível de dificuldade, cores e vibrações do game de acordo com as reações do jogador.

Depois de selecionado, o projeto passará por uma comissão julgadora que escolherá os melhores trabalhos em cada categoria e também por votação popular, que acontece até dia 25/6 na página http://www.fileprixlux.org/votar-arte-interativa.aspx. A professora Rachel concorrerá a um prêmio de até R$ 25 mil com participantes de todo o mundo, como China, Alemanha, Japão, Holanda e EUA. 

Neste ano, serão premiados os sete melhores trabalhos em cada uma das categorias: Arte Interativa, Linguagem Digital e Sonoridade Eletrônica. Ao todo, R$285 mil serão entregues em prêmios aos vencedores.

O concurso

O FILE (Festival Internacional de Linguagem Eletrônica) tem como objetivo incentivar o desenvolvimento de projetos inovadores e criativos na área das artes e das tecnologias. Desde 2000, o FILE colaborou, através de exposições e simpósios, com o desenvolvimento de novas linguagens eletrônicas e digitais possibilitam, além de contribuir para o posicionamento do Brasil no contexto mundial dessas novas tendências.