International Office cria programa para contribuir com a integração dos intercambistas

0h00

Com o intuito de acolher e oferecer apoio aos alunos estrangeiros que participam dos programas de intercâmbio oferecidos pelas instituições de ensino pertencentes à rede Internacional Laureate, o International Office da Universidade Anhembi Morumbi criou o projeto “Brazilian Buddy”.

O termo inglês, que significa amigo brasileiro, foi o nome escolhido para o projeto que seleciona os alunos nativos que serão tutores dos estrangeiros dentro da Universidade, auxiliando-os na adaptação no Brasil assim como na familiarização com o idioma e a cultura local, durante um semestre.

Na noite do dia 2 de outubro, a coordenadora do International Office, profa. Marta Iglesis, falou com os alunos tutores sobre o projeto e explicou quais são os objetivos específicos e obrigações dos mesmos. O projeto possibilita que os alunos validem as horas das atividades complementares exigidas em cada curso, por meio da entrega de relatórios em datas pré-definidas falando sobre o desenvolvimento acadêmico do intercambista, assim como sua integração social na Universidade.

 Os alunos da Universidade e a profa. Marta Iglesis comemoram o início do projeto
Os alunos da Universidade e a profa. Marta Iglesis comemoram o início do projeto

Para o aluno do curso de Relações Internacionais, Thiago Viegas Luz, de 19 anos, participar desse projeto é uma oportunidade muito interessante tanto por ajudar um estudante estrangeiro como por conhecer a cultura e o idioma de outro país.

Os alunos de Relações Internacionais, Gabriel Pereira Roberto e Fabiani Higino, também foram escolhidos para acompanhar a adaptação de duas alunas mexicanas que estão cursando o segundo semestre de 2008 na mesma turma que eles. Além do acompanhamento dentro da sala de aula, eles já levaram as estrangeiras para passeios turísticos na cidade de São Paulo durante os finais de semana e estão gostando muito dessa troca de experiências com elas.

A aluna de Design Gráfico, Corina Sachiko Pimentão, conta que, mesmo antes de entrar no projeto, já tinha se tornado amiga da intercambista panamenha de sua sala e o projeto foi só uma forma a mais de estreitar esse laço de amizade entre elas. “Penso em ir para o Panamá pelo programa de intercâmbio da Universidade, ainda mais agora que fiquei muito amiga dela”, diz.