“Fui encorajado a tirar o meu projeto do papel.”

18h58

Fábio Guedes, aluno de Administração e um dos fundadores da Startup F360Br, projeto que foi acelerado pela Anhembi Up.

Fábio Guedes é um dos participantes da primeira turma da Anhembi Up, aceleradora de startups da Universidade Anhembi Morumbi, que oferece todo o suporte necessário para impulsionar projetos empreendedores com ideias inovadoras. O projeto de Fábio, uma produtora de conteúdo em realidade virtual, já estava em andamento desde o primeiro ano do curso de Administração, por meio de disciplina que propõe a elaboração de uma empresa para ser desenvolvida no decorrer do curso.

“Desde o começo da universidade, a Fly 360 já estava sendo elaborada. A ideia de disseminar a realidade virtual através de uma produtora de conteúdo surgiu por causa do meu pai. Ele é fotógrafo há 20 anos e um dos precursores no Brasil em realidade virtual – trabalha há 14 anos com essa tecnologia. Montar a produtora é uma forma de ampliar os negócios dele, difundir a realidade virtual no País, que ainda é muito restrita, e realizar minha vocação, que é empreender”, conta Fábio.

Quando a Anhembi UP lançou o processo seletivo para o primeiro ciclo de aceleração, que aconteceu no segundo semestre de 2018, Fábio foi um dos seis selecionados entre 54 projetos inscritos. “Minha participação no processo de seleção só aconteceu por insistência e incentivo do professor Sérgio Sipereck. Ele sempre acreditou no projeto e me convenceu que tinha potencial para ser selecionado pela aceleradora”, enfatiza. O processo de aceleração, segundo Fábio, transformou o projeto completamente, ampliando as possibilidades do negócio. “A mentoria abriu uma visão do mercado e do que a empresa poderia se tornar que eu não tinha ideia”.

A produtora, que passou a chamar F360Vr, está em pleno funcionamento, mesmo antes da conclusão do curso de Administração, que acontece em 2020. Além da participação na aceleradora, Fábio também está envolvido em projetos internos da Universidade, como fornecedor de serviços e da expertise de seu pai em realidade virtual. “O bacana da Anhembi é que sempre temos oportunidades muito próximas para realizar projetos e iniciar trabalhos, antes mesmo de concluir os estudos. Nossa trajetória de mercado já começa aqui dentro. Temos incentivos de todos os profissionais, que nos encaminham com contatos e oportunidades”.

Fábio pretende ainda contar sua experiência pessoalmente para outros colegas da Universidade. “Eu sinto que muitos alunos ficam receosos em participar da seleção da Anhembi UP porque não acreditam no potencial de suas ideias, ou supõem que deva ser muito difícil elaborar o projeto. Eu espero poder conversar com eles em algum evento da Anhembi, algo assim, para mostrar que é mais simples do que eles imaginam. Quero que a minha experiência também sirva de incentivo para novas ideias saírem da gaveta e acredito que a Universidade ainda irá proporcionar esse tipo de encontro”, finaliza.