Executivo francês Christian Grass abre ciclo de palestras França-Brasil na Anhembi Morumbi

0h00

A Universidade Anhembi Morumbi realizou, no dia 31 de março, a abertura do ciclo de palestras em comemoração ao Ano da França no Brasil com a palestra de Christian Grass, vice-presidente executivo da EADS – European Aeronautic Defence and Space Company para a América Latina. Trata-se do primeiro evento que a Escola de Negócios e Direito, em parceria com a Aliança Francesa, promove para discutir “As relações econômicas França-Brasil e os investimentos franceses“.

 Christian Grass inicia palestra na Anhembi Morumbi destacando a importância da cooperação internacional
Christian Grass inicia palestra na Anhembi Morumbi destacando a importância da cooperação internacional

Responsáveis pela abertura do evento, a profa. Thania Soto Lemke, coordenadora do curso de Comércio Internacional, e o prof. Edson Luiz Gaspar, coordenador do curso de Aviação Civil, deram as boas-vindas aos alunos e recepcionaram o palestrante Grass, que iniciou sua apresentação com dois vídeos sobre a produção aeroespacial da EADS.

 Auditório lotado com grande interesse dos alunos presentes
Auditório lotado com grande interesse dos alunos presentes

A empresa, de origem europeia e controladora da Airbus, é a segunda maior empresa aeronáutica e de defesa do mundo. Além disso, segundo Christian Grass, a EADS é líder mundial em plataformas e sistemas aeroespaciais, com faturamento atual de 40 bilhões de euros e outros 300 bilhões em carteira (pedidos). “Nossa expectativa é de que 20% dos funcionários da EADS estejam fora da Europa. Atualmente, apenas 4 mil dos 120 mil funcionários encontram-se fora do território europeu”, afirma.

Para o executivo, o desafio da EADS para o futuro é “tornar-se uma empresa eco-eficiente, gerando menos poluição e diminuindo o custo dos combustíveis, trabalhar na paridade de longo prazo com a concorrente Boeing, e buscar a redução da vulnerabilidade da taxa de câmbio na relação dólar e euro”. No campo da defesa militar, destacou que só os EUA têm um orçamento de 400 bilhões de dólares anuais, o que representa 20% do orçamento militar de toda a Europa.

Sobre a importância do Brasil, Christian Grass ressaltou que o País é o primeiro mercado da EADS na América Latina, resultando em negócios de 6 bilhões de euros.“Para mim, o Brasil não é o país do futuro, mas sim do presente. Afinal, possui a maior frota de aviação executiva do mundo e reúne, na cidade de São Paulo, o maior número de helicópteros turbinados do mundo, além de contar com a Empresa Brasileira de Aeronáutica (Embraer), considerada uma das maiores empresas aeroespaciais do mundo. O Brasil também é um dos poucos países com capacidade de assinar um contrato de certificação aceito nos EUA e na Europa, o que gera confiança no mercado algo ainda não obtido por China e Rússia”, comenta.

Um dos destaques da relação entra a EADS e o Brasil é o helicóptero EC725, da empresa Helibras. Grass comentou que deseja tornar o País capacitado e consolidado como produtor de helicópteros de classe mundial: “o futuro da tecnologia não pode ser apenas europeu. Não vamos conseguir vender os produtos sem parcerias. Por isso, é necessária uma cooperação em que os parceiros se deem bem”.

Segundo Grass, a aliança entre Brasil e França foi reforçada com a vinda do presidente francês, Nicolas Sarkozy, no fim de 2008. Em conversa com o presidente Lula, o governo francês discutiu parcerias estratégicas no campo da tecnologia de defesa. Uma delas será um novo veículo lançador espacial (VLS). O executivo ressaltou que “por isso o Brasil está à frente de outros países, pois há gente qualificada e, felizmente, boas estruturas de educação, como a da Anhembi Morumbi, para formar os profissionais demandados pelo mercado”.

Antes de responder às perguntas dos alunos, Christian Grass, bem humorado, comentou que a cooperação entre Brasil e França é muito antiga no campo aeroespacial: “O que temos em comum é Santos Dumont. França e Brasil acreditam nele como o pai da aviação”.