“Eu achava que seria difícil trabalhar com o que eu amo…”

17h18

Ainda bem que eu estava errado.” 

Allan Tolentino,
Aluno de Rádio, TV e Internet.

Desde criança, Allan Tolentino diz saber que trabalharia com arte. “Sempre gostei de teatro e música. Quando eu estava no ensino médio, comecei a pensar em uma formação que me ajudasse a realizar esse sonho, mas queria que fosse também algo que abrisse mais possibilidades de carreira”, conta Tolentino. A decisão pelo curso de Rádio, TV e Internet veio junto com suas investidas em vídeo, em seu canal no Youtube, no qual concilia a arte à imagem em filmes conceituais e clipes musicais. O estudante diz que a Universidade trouxe descobertas que ajudaram a aprimorar suas produções. “Se eu não estivesse na Universidade não teria descoberto o roteiro. Era algo que eu nem tinha ideia e hoje me ajuda a construir narrativas para minhas produções musicais e artísticas”, destaca.

Foi por meio da Universidade, também, que Tolentino conseguiu suas primeiras experiências profissionais em agências e produtoras. “No Anhembi Carreiras, encontrei oportunidades de estágios em produtoras, que me possibilitaram ter dinheiro para fazer o que eu queria e também pensar mais estrategicamente”, avalia. “Foi bom para que eu pudesse ver como é a prática no mercado. Comecei a fazer coisas no canal com muito mais qualidade e isso abriu novas oportunidades em agências, pois os vídeos acabam servindo como portfólio”.

Hoje, aos 20 anos e ainda cursando a Universidade, Tolentino se dedica também à sua música. O que o motivou foi o lançamento de uma primeira música em 2017, que teve uma boa repercussão com matérias em mídias do segmento. “Eu fiz um clipe dessa música que já existia e foi até um trabalho de semestre da Anhembi. Com isso, sai em algumas mídias e isso me animou para continuar nesse caminho. Em setembro deste ano, Tolentino planeja o lançamento de seu primeiro EP, chamado “Caos”. Até lá, ele pretende soltar um single por mês do novo álbum. “A primeira música já teve repercussão”, conta. “Em setembro lançarei as sete músicas”, antecipa.

Além da técnica e das oportunidades profissionais despertas pela Universidade, Tolentino ressalta os contatos que o dia a dia no câmpus proporciona. “Conheci e conheço muitas pessoas na Anhembi. Criei amigos e estou em contato com outras realidades, o que me enriquece como pessoa e como profissional”. Tolentino destaca ainda a pesquisa, a cultura, a troca de experiências e os novos conhecimentos que encontra na formação da Anhembi como elementos indispensáveis para a realização do seu trabalho. “Considero-me um colecionador de boas referências”, conta, citando Patti Smith, Robert Mapplethorpe e Lorde entre suas inspirações.