Escolas de Ciências da Saúde utilizam técnica de bodypainting em sistema de ensino inédito no Brasil

0h00

Atenta às tendências de ensino mundiais, a Universidade Anhembi Morumbi inova ao proporcionar aos alunos das Escolas de Ciências da Saúde um modelo pioneiro de ensino no Brasil de aulas por pintura (bodypainting) e projeção de animação de imagens no corpo de modelos nas aulas de morfologia.

O sistema de ensino adotado, que dispensa o uso de cadáveres, foi inspirado em outro semelhante, utilizado na Universidade da Península (Península Medical School), que faz uso da técnica desde 2003.

 Projeção realizada na região anterior da perna, com objetivo de relacionar as estruturas ósseas e musculares com a superfície do corpo (anatomia de superfície).
 Projeção realizada na região anterior da perna, com objetivo de relacionar as estruturas ósseas e musculares com a superfície do corpo (anatomia de superfície).

 

A prática possibilita o aprendizado em dimensões reais e, quando tratada com rigor científico, permite aos alunos estudar estruturas profundas na superfície corporal, observando sua proporção e localização. “É importante ressaltar que essa técnica deve estar associada a outros recursos como Anatomia Radiológica, Modelos e Simuladores, para que o estudante adquira uma formação completa”, lembra o prof. José Manoel dos Santos, coordenador do curso de Ciências Biológicas.

 Pintura realizada na região ântero-medial da coxa, na qual é possível visualizar a disposição dos músculos, bem como seus pontos de fixação no esqueleto.
 Pintura realizada na região ântero-medial da coxa, na qual é possível visualizar a disposição dos músculos, bem como seus pontos de fixação no esqueleto.

 

Para cada aula, há uma pintura e uma projeção referente ao sistema que os alunos estão estudando. A preparação de uma aula de 40 minutos, por exemplo, pode chegar a demorar cerca de cinco horas e, durante seu período de preparação, são tiradas as medidas dos órgãos, ossos e vasos sangüíneos do modelo, que serão pintados no corpo pela profa. Kazuy Yamada, artista plástica e professora dos cursos de Design e Moda, e pelo prof. Paulo Marcio Gonzáles, morfologista.