Congresso da Federação Mundial de Quiropraxia

0h00

Por Profa. Ana Facchinato e Prof. Eduardo Bracher

O 11º Congresso da Federação Mundial de Quiropraxia, com colaboração da Associação Brasileira de Quiropraxia, ocorrido em abril de 2011 no Hotel Intercontinenal, Rio de Janeiro, foi um grande sucesso para a profissão no Brasil e internacionalmente. Com mais de 800 participantes, entre estudantes e convidados nacionais e internacionais, contou com a presença dos principais expoentes da Quiropraxia no mundo.

Como forma de manter a unidade da profissão mundialmente, o congresso ocorre a cada dois anos em um continente distinto: em 2009 foi realizado em Portugal e, em 2013, acontecerá na África do Sul. Este ano, foi a primeira vez que o Brasil recepcionou a comunidade internacional de Quiropraxia. Muitas são as dúvidas sobre esta profissão e sobre como a Quiorpraxia pode beneficiar os cidadãos.

Além de beneficiar a pessoas com dor ou outras alterações na coluna, a Quiropraxia pode também proporcionar bem-estar e melhora de sintomas dolorosos comuns. O tratamento é realizado através de movimentos específicos sobre as articulações, conhecidos como ajuste, ou manipulação articular, e que melhoram a mobilidade das articulações e permitem um melhor equilíbrio do sistema musculo-esquelético e do corpo como um todo.

A manipulação articular é um dos métodos terapêuticos melhor estudados para o tratamento das dores nas costas, lombalgias e dores no pescoço e cervicalgia, de curta ou de longa duração ou agudas e crônicas. Revisões detalhadas de estudos clínicos sobre o tratamento conservador de lombalgias e cervicalgias, publicadas em revistas científicas de renome, como o Annals of Internal Medicine, e a revista Spine, indicam que a manipulação articular é um dos métodos terapêuticos com eficácia clínica melhor comprovada para o tratamento de lombalgias e cervicalgias. 

Durante o Congresso Mundial de Quiropraxia, em que a Universidade Anhembi Morumbi e o Reitor Gabriel Mário Rodrigues receberam uma homenagem, foram abordadas muitas novidades sobre o assunto. O tratamento de atletas foi um dos tópicos mais comentados: houve a premiação de uma pesquisa brasileira, realizada por Marcelo Botelho, ex-aluno do curso de Quirorpaxia da Universidade, sobre o desempenho de atletas de judô,  demonstrando que o tratamento com Quiropraxia melhora em até 20% a força de preensão, essencial para estes atletas em sua modalidade.

 Prof. Eduardo Bracher ministra palestra em Congresso
Prof. Eduardo Bracher ministra palestra em Congresso

Outro tópico comentado foi a relação entre dor nas costas e dores torácicas. Sabe-se que muitas pessoas que chegam à emergência de hospitais com suspeita de problema cardíaco na verdade apresentem uma alteração musculoesquelética na região do tórax. Muitos pacientes que não necessitam de cuidados cardiológicos acabam sendo tratados com atendimento padrão (anti-inflamatórios e orientações de exercícios). Em um estudo apresentado no Congresso, observou-se que, quando esses pacientes são tratados com Quiropraxia, a melhora dos sintomas é significativamente superior à do grupo que foi tratado com cuidados tradicionais, como medicamentos e orientações. Essa pesquisa, realizada por quiropraxistas na Dinamarca e estudando pacientes do sistema público de saúde, ganhou o prêmio “Scott Haldeman” de melhor trabalho científico.

Outras técnicas dentro da Quiropraxia se destacaram durante o evento: o atendimento de crianças foi muitas vezes comentado, já que muitas delas apresentam traumas antes e durante o parto, decorrentes do posicionamento no útero e durante o nascimento. O tratamento com Quiropraxia, com utilização de técnicas específicas para neonatos, pode ser extremamente eficaz em casos de cólicas infantis, otite recorrente e outras queixas comuns em recém-nascidos. Os participantes puderam participar de um curso específico para tratamento pediátrico.

O instrumento chamado “Ativador” foi uma das ferramentas mais comentadas e procuradas pelos participantes, pela sua eficácia e rapidez no tratamento. Os pacientes são muito  beneficiados pela técnica, criada pelo quiropraxista Dr. Arlan Fuhr, e que é de uso restrito para quiropraxistas. Dr. Fuhr estava presente no evento e ministrou cursos e palestras sobre a técnica.

 Da esquerda para direita: David Chapman-Smith (secretário geral da WFC), Ana Paula Facchinato, Eduardo Bracher, Representante da University of Western States, Juliana Piva (Presidente da ABQ), J. Michael Flynn (presidente da WFC)
Da esquerda para direita: David Chapman-Smith (secretário geral da WFC), Ana Paula Facchinato, Eduardo Bracher, Representante da University of Western States, Juliana Piva (Presidente da ABQ), J. Michael Flynn (presidente da WFC)

 

Outras técnicas também foram muito comentadas como a técnica de MacKenzie, para pacientes com hérnia de disco; Active Release Technique (ART) e Kinesiotaping para pacientes com alterações de músculos e tendões. Além disso, aspectos atuais de tópicos como Dor crônica, exercícios terapêuticos e tratamento de atletas foram discutidos durante o Congresso, permitindo a atualização, revisão e treinamento específico de Quiropraxistas do país e de centenas de participantes internacionais.

A regulamentação da Quiropraxia no Brasil é um processo político/legislativo: a profissão está em processo de regulamentação desde 2001, porém o Projeto de Lei atualmente está em fase de readaptação. A atualização do projeto está sendo realizada por uma comissão de especialistas, para que seja protocolada em breve.