Atividade de Bacharel em Quiropraxia é reconhecida Ministério do Trabalho

0h00

Nos dias 30 e 31 de março de 2012, um comitê formado por Quiropraxistas, Osteopatas, autoridades do MTE e da FIPE – Federação Instituto de Pesquisas Econômicas da USP se reuniu para discutir e montar o painel que descreve as atividades dos Bacharéis Quiropraxistas e dos Osteopatas no Brasil, visando à inclusão dessas ocupações na CBO (Classificação Brasileira de Ocupações), documento que reconhece, nomeia e codifica os títulos e descreve as características das ocupações do mercado de trabalho brasileiro.

A inclusão do Bacharel em Quiropraxia na CBO não é a regulamentação da profissão por Lei, mas, certamente é mais um importante marco que impulsiona a estruturação da Quiropraxia no País rumo à sua regulamentação.

Apesar de a publicação no site da CBO/MTE acontecer só em janeiro de 2013, hoje, todos os profissionais da área já são reconhecidos pelo Ministério do Trabalho.

Anhembi Morumbi investe na formação de bacharéis em Quiropraxia

Hoje, no Brasil, estima-se que há aproximadamente 600 quiropraxistas para uma população 190 milhões de habitantes, sendo que 80%  desta população já apresentou ou irá apresentar algum problema de coluna, o que reflete a crescente necessidade das pessoas por um profissional desta área.

Acompanhando a promissora tendência deste mercado, há mais de uma década, a Universidade Anhembi Morumbi, única Instituição de ensino superior da região Sudeste do Brasil a oferecer o curso de Graduação em Quiropraxia, forma anualmente dezenas de quiropraxistas, que a partir de agora, serão beneficiados com o reconhecimento do Ministério do Trabalho.

Eleito um dos melhores do País, com 4 estrelas no Guia do Estudante 2011, o curso é reconhecido pelo MEC e segue os padrões internacionais para Educação e Segurança em Quiropraxia preconizados pela Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo Conselho Internacional de Educação em Quiropraxia e pela Federação Mundial de Quiropraxia (WFC).