Alunos do curso de Cinema e Audiovisual são premiados em festival de cinema no Chile

11h08

O curta-metragem Bandeira foi premiado como o melhor curta-metragem de ficção no festival “Fantepu – Festival Internacional de Cine y Video Mapuche y del Abya Yala”, que aconteceu no Chile, no início de dezembro. Produzido por um grupo de 12 estudantes de Cinema e Audiovisual da Universidade Anhembi Morumbi, integrante da rede internacional de universidades Laureate, a obra é o resultado do trabalho de conclusão do curso desse grupo de alunos.

Sob orientação dos professores Caio Lazaneo e Renato Coelho, a ficção tem como personagem principal Uirá, um indio Guarani Mbya, da cidade de São Paulo, que passa por uma difícil jornada de conflitos em relação à sua cultura e à sua identidade. A obra aborda ainda questões como a dos grileiros, o descaso ambiental, a ganância pelo dinheiro e a exploração do corpo. Entra também em discussão no curta o embate com as lendas transformadoras, que remete Uirá aos ritos de sua ancestralidade. Para os organizadores do festival, retratar a vida indígena e sua cultura foi um dos quesitos que levaram à premiação.

Segundo Thiago “Zé” Ferreira, diretor do filme, participar de um Festival Mapuche e representar os povos de toda Abya Yala (Américas) foi um grande orgulho. “Sair com o prêmio de melhor ficção Abya Yala foi uma enorme felicidade, afinal foi atribuído por um júri com a sensibilidade e o olhar indígena (Mapuche)”, afirma Ferreira, ex-aluno da instituição. Para o professor Caio Lazaneo, o grupo soube conciliar o bom trabalho de pesquisa à sensibilidade artística. “O resultado desse trabalho foi um filme importante para os Guarani Mbya, para a equipe que o realizou, para a Universidade Anhembi Morumbi e para a sociedade brasileira em geral”, conclui o docente.

O Festival é um espaço de difusão de criação audiovisual com temática Mapuche e os povos originários da América (Abya Yala), uma instância de intercâmbio de experiências com a imagem em movimento. Ele tem como missão consolidar o apoio audiovisual como uma forma de visibilidade das diferentes realidades socioculturais  Mapuche da sociedade atual e o Abya Yala. Além do Festival Fantepu, o filme foi também agraciado com três prêmios na 1ª edição do festival “Cine Tamoio”, em São Gonçalo – RJ: melhor ator principal (Mauro Martims Karai), melhor ator coadjuvante (Anselmo Vasconcellos) e melhor atriz coadjuvante (Gabriela Veiga), além de ter sido indicado como melhor ficção, melhor roteiro e melhor direção.