01 – Início

Prezado(a) professor(a),

Este guia foi elaborado com o objetivo de prestar orientações relativas às diversas rotinas acadêmicas dos cursos de graduação, sequenciais em regime semestral e sequenciais em regime modular.

Inclui, entre outros conteúdos, orientações relativas às rotinas das disciplinas, preenchimento dos diários, lançamentos de registros (notas e faltas), prazos para solicitação de cópias e procedimentos para eventualidades de atrasos e faltas. Todas as orientações relativas às rotina  das disciplinas, especialmente os critérios de avaliação do desempenho escolar (notas e faltas), provas de segunda chamada e exercícios domiciliares de compensação de faltas, são descritas de forma a espelhar as orientações apresentadas aos alunos.

Recomendamos, adicionalmente, uma leitura dos guias acadêmicos dos alunos (www.anhembi.br/alunos) e do calendário acadêmico (www.anhembi.br/professores) como complemento aos conteúdos deste guia.

Aos alunos, é expressamente declarado que não são aceitos argumentos de desconhecimento dos conteúdos dos guias acadêmicos, de forma que solicitamos seu especial cuidado em não adotar orientações e procedimentos distintos daqueles estabelecidos nos referidos documentos.

Em caso de dúvidas, encaminhar o aluno para a Central de Atendimento.

Estão exclusos deste Guia do Professor os capítulos do Regimento Geral que tratam dos direitos, deveres e regime disciplinar do corpo docente. Em caso de necessidade, solicitamos a gentileza de efetuar uma leitura do Regimento, disponível em todas as Bibliotecas e Centrais de Atendimento ao Professor (CEAP).

As equipes da CEAP encontram-se à disposição para o esclarecimento de quaisquer dúvidas e/ou orientações adicionais a este guia.

02 - Documentos Oficiais da Instituição e do Professor

2.1 Regimento Geral da Universidade

O Regimento Geral reúne todas as normas que regem o funcionamento da
Universidade, incluindo as especificações de direitos, deveres e regime disciplinar do corpo docente. O regimento encontra-se disponível para consulta nas Bibliotecas e nas Centrais de Atendimento ao Professor.

2.2 Calendário Acadêmico

Os Calendários Acadêmicos (cursos de graduação, sequenciais semestrais e sequenciais modulares) representam os documentos oficiais da Instituição, nos quais são definidos os prazos dos principais processos acadêmicos, tais como: períodos de provas, lançamentos de notas e faltas, prazos para revisão de registros, períodos de férias e recessos etc. São aprovados pelo Conselho Universitário da Instituição e publicados por meio de resolução específica. Os prazos e datas estabelecidos não poderão ser alterados.

Os calendários encontram-se publicados no portal (www.anhembi.br/professores).

2.3 Contrato de Trabalho

O Contrato de Trabalho para os docentes é regido por legislação e critérios específicos da CLT, pelo Conselho Regional de Educação e pelo Regimento interno da Universidade. Alguns itens também são definidos por acordos intersindicais e têm duração determinada por Acordo Sindical. A assinatura do Contrato de Trabalho é condição indispensável para o exercício docente na Instituição. O professor somente assumirá suas aulas quando apresentar a documentação necessária para a admissão e assinar o referido contrato.

2.4 Currículo LATTES

O professor deverá manter atualizado seu Currículo LATTES (http://lattes.cnpq.br/). A atualização é indispensável para prestação periódica de informações institucionais ao Ministério da Educação.

2.5 Uso do Crachá

O crachá é seu documento institucional de identificação. Seu uso é solicitado para ingresso e durante a permanência nas dependências da Universidade, assim como nas visitas técnicas em que o professor representa a Instituição.

03 – Login e Senha Pessoal do Professor

No ato da efetivação do contrato (CLT ou de Prestação de Serviços) o professor recebe um Login e uma senha pessoal para acesso aos diversos serviços do portal.

Professores contratados sob o regime da CLT recebem, adicionalmente, uma conta de correio eletrônico pessoal.

A senha da unidade web e do acesso ao e-mail é a mesma e poderá ser alterada a qualquer momento, por meio do portal (alteração de senha).

A senha é pessoal, intransferível e o usuário é responsável por seu sigilo.

A Anhembi Morumbi não se responsabiliza por eventuais violações de sigilo que decorram da comunicação de senhas a terceiros.

04 – Atualização das Informações Cadastrais e de Contato

O endereço residencial e o(s) telefone(s) utilizado(s) para a comunicação com o professor são aqueles que o mesmo informa na documentação contratual.

Professores contratados em regime de prestação de serviços são também responsáveis por fornecer um endereço válido de correio eletrônico.

Uma vez contratado, o professor pode efetuar a atualização das informações. Para tanto, deve acessar os Serviços para Professores no portal e escolher a opção Atualização de Dados Cadastrais, digitar as novas informações e clicar em Atualizar .

O professor é responsável por garantir o endereço e números telefônicos atualizados. A Anhembi Morumbi não se responsabiliza por eventuais falhas de comunicação e extravios de correspondências que possam decorrer de informações cadastrais desatualizadas ou incorretas.

05 – CEAP – Centrais de Atendimento ao Professor

As Centrais de Atendimento ao Professor (CEAP’s) representam as principais estruturas de apoio ao professor em suas atividades acadêmicas, bem como na intermediação de informações ou serviços relacionados ao Setor de Gestão de Pessoas e procedimentos administrativos relacionados às coordenações de curso, diretorias, setor de registros acadêmicos e centrais de atendimento.

LOCALIZAÇÃO DAS CEAPs

Campus Centro
Rua Dr. Almeida Lima, 1.134 – 1º andar
Telefones: 2790-4611/4612/4613

Campus Vila Olímpia – Unidade 5
Rua Casa do Ator, 294
Telefones: 3847-3153/3046

Campus Morumbi
Av. Roque Petroni Jr., 630
Telefones: 5095-5685/5684/5612

Campus Avenida Paulista
Av. Paulista 2.000 – 15º andar
Telefone: 3145-8425/8426

Campus Avenida Paulista 2
Rua Treze de Maio, 1.266 – 16º andar – Bela Vista
Telefone: 3170-6922/6921

SOLICITAÇÃO DE EQUIPAMENTOS E LABORATÓRIOS

Os equipamentos de multimídia, assim como os laboratórios, devem ser solicitados com antecedência. Solicitamos bom senso, evitando agendar equipamentos sem a necessidade de uso dos mesmos, o que impede que outros colegas possam enriquecer suas aulas com tais recursos. Solicita-se também que os equipamentos sejam manuseados com cuidado.

06 – Atribuições de Aulas

As atribuições de aulas, assim como a notificação dos horários das atividades do professor para os períodos letivos subsequentes, são de total responsabilidade das coordenações de curso.

Os atendentes das CEAP’s e assistentes de curso não estão autorizados a fornecer informações sobre atribuições de aulas e horários antes do início dos períodos letivos. As informações devem ser obtidas pelo professor diretamente com as coordenações de curso.

07 – Diários de Classe

Os diários representam os documentos oficiais de registro de frequência e aproveitamento discentes, conteúdos desenvolvidos e instrumentos de avaliação utilizados nas disciplinas.

São frequentemente sujeitos a fiscalização e auditorias pelas Comissões de Verificação do Ministério da Educação quando dos processos de avaliação institucional (reconhecimento de cursos e recredenciamento institucional), de forma que a clareza, a fidelidade e a precisão das informações registradas são requisitos indispensáveis no preenchimento dos mesmos.

Verifique se o diário contém seu nome correto, o nome correto da disciplina e seu horário. Em caso de erros, comunique imediatamente a um funcionário da CEAP e solicite a correção ou substituição do documento.

Os diários permanecem à disposição dos professores e coordenadores de curso durante todo o semestre letivo ou período das disciplinas dos cursos modulares.

Não devem, entretanto, ser retirados da Instituição , devendo ser devolvidos nas CEAPs – Centrais de Atendimento ao Professor quando do término de suas atividades diárias.

7.1 Alunos ausentes nos diários

Os alunos constantes no diário são aqueles com situação acadêmica regular e devidamente matriculados na respectiva disciplina. Alunos eventualmente presentes em sala e cujos nomes não constem da lista devem ser encaminhados para a Central de Atendimento ao Aluno.

Em nenhuma hipótese acrescentar nomes de alunos ao diário, assim como registros de frequência e/ou aproveitamento de alunos não presentes na lista, exceto nos casos em que for apresentado o protocolo de inclusão emitido pela Central de Atendimento ao Aluno.

Oriente-se com a equipe da CEAP caso tenha dúvidas com relação a este documento ou em relação à validade de um protocolo de inclusão que lhe seja apresentado.

7.2 Lançamento de conteúdos e atividades

Os conteúdos desenvolvidos em classe ou extraclasse, atividades de avaliação e, eventualmente, atividades complementares como participação dos alunos em eventos, feiras etc. devem ser registrados na data de sua realização, juntamente com a respectiva carga horária diária correspondente à disciplina.

Os registros devem espelhar fielmente as atividades realizadas e conteúdos desenvolvidos, em correspondência com o Plano de Aulas do Professor, apresentado aos alunos no início do semestre letivo (cursos em regime semestral) ou módulos (cursos em regime modular).

Entre em contato com a coordenação de curso na eventualidade de antever o não-cumprimento da carga horária e/ou conteúdos previstos para a disciplina, para a elaboração de um plano de complemento ao longo do semestre ou módulo.

7.3 Lançamento da frequência discente

É de responsabilidade do professor a verificação diária da frequência dos alunos e respectivo registro no diário.

Registrar a totalização das faltas de cada mês ou módulo, entregando nas CEAPs, imediatamente, para a digitação no sistema.

7.4 Encerramento do diário

Ao final do semestre ou módulo, o diário deverá ser encerrado pelo professor. Este encerramento compreende:

• Verificar se a carga horária registrada é igual à carga horária da disciplina. Caso o valor seja menor, entre em contato com a coordenação do curso.
• Verificar se as atividades e conteúdos lançados refletem o previsto no Plano de Aulas. Entre em contato com a coordenação do curso, na eventualidade de não-cumprimento integral do plano de aulas.
• Verificar (cursos semestrais) se estão lançadas no diário todas as atividades de avaliação e notas finais de primeira etapa (N1), notas da segunda etapa (N2) e notas das Provas de Segunda Chamada, nos casos dos alunos que tenham realizado esta avaliação.
• Verificar (cursos modulares) se encontram-se lançadas no diário todas as atividades de avaliação e a nota final dos alunos.
• Assinar, datar o encerramento do diário e entregá-lo ao funcionário da CEAP.

08 – Livro-Ponto

Juntamente com o diário de classe, o livro-ponto representa o documento oficial de registro das atividades do professor e de sua presença na Instituição.

O livro deve ser assinado em duas etapas: antes do início das atividades, com registro do horário de início dos trabalhos, e após as atividades, com registro do horário de encerramento dos trabalhos e saída da Instituição.

Solicitamos não registrar o horário da saída quando do registro da entrada.

8.1 Procedimentos para eventualidades de atrasos e faltas

A assiduidade e a pontualidade comprovam a responsabilidade profissional. Evite chegar atrasado e/ou faltar aos compromissos acadêmicos. A pontualidade vale também quanto à entrega de documentos, planos de ensino, projetos, lançamento de notas, entrega de avaliações e outros.

Salvo a ocorrência de eventos de força maior, o prazo de tolerância para chegada do professor à Instituição sem o registro de atraso é de 15 (quinze) minutos.

Na eventualidade de um atraso ou de uma falta não prevista, solicitamos ao professor que se comunique imediatamente com a Coordenação ou com a Central de Atendimento ao Professor (CEAP), de forma a agilizar a notificação aos alunos (dispensa das atividades ou atraso no início das mesmas).

Toda ausência deverá ser comunicada, com antecedência, à Coordenação ou a CEAP. Na eventualidade atraso ou falta, é imprescindível que o professor apresente a notificação formal da ocorrência à coordenação do curso, por meio de impresso próprio disponível nas CEAP’s. A análise da notificação pela coordenação resultará em uma entre três situações possíveis:

Falta ou atraso abonado – o evento é considerado abonado e o professor não é descontado em seus vencimentos (necessária a aprovação da diretoria de área, quando não documentado com amparo na CLT).

Falta ou atraso justificado – o evento é considerado justificado e o professor é descontado em seus vencimentos . Nesse caso o DSR – Descanso Semanal Remunerado não é descontado. O documento deverá ter a assinatura da coordenação.

Falta ou atraso injustificado – o evento é considerado não-justificado. O professor é descontado em seus vencimentos.

Nos casos de faltas com abono previsto na Convenção Coletiva de Trabalho (documentação comprobatória anexada ao impresso próprio da Instituição), o evento é apenas notificado pela CEAP ao coordenador e diretamente encaminhado para o Departamento de Gestão de Pessoas, sem necessidade de aprovação do abono pela coordenação/diretoria.

Nos eventos de faltas, quaisquer que sejam os motivos ou o resultado das análises, o professor deverá definir com a coordenação do curso um calendário de reposição das atividades (carga horária e conteúdo).

Ao final de cada mês, são gerados relatórios de atrasos e faltas docentes. Os relatórios são encaminhados às coordenações de curso e utilizados como um dos instrumentos de múltipla avaliação de desempenho do professor.

09 – Solicitação de Cópias de Provas e Exercícios

As solicitações de cópias de provas e exercícios devem ser efetuadas a um atendente da CEAP, pessoalmente ou via e-mail, em prazo não inferior a 3 (três) dias antes da realização das atividades. Os atendentes não estão autorizados a receber solicitações com atraso.

O número de cópias não deverá ser superior ao número de alunos listados no diário da disciplina a que se relacionar a atividade.

Todos os originais de provas e exercícios deverão conter o logotipo oficial da
Universidade e/ou a denominação da Instituição (Universidade Anhembi Morumbi – Laureate International Universities).

Originais que eventualmente não contiverem o logotipo ou a designação institucional terão o logotipo acrescentado antes da realização das cópias. Devido a restrições legais, não são permitidas cópias de livros, ainda que trechos ou capítulos.

10 – Avaliação do Aproveitamento Escolar e Apontamentos de Notas e Faltas

Apontamento de Faltas – Os professores deverão encerrar os Diários de Frequência ao final de cada mês. As faltas lançadas e totalizadas pelos professores serão digitadas no sistema da graduação pelas CEAPs e publicadas conforme calendário acadêmico.

Apontamento de Notas – As notas registradas no diário de classe deverão estar rigorosamente iguais as notas lançadas no sistema. Lembrando que as notas possuem valor de 0 (zero) a 10 (dez) pontos, com frações de 0,5 ponto.

10.1 Faltas da Primeira Etapa (F1)

A apuração das faltas da primeira etapa é lançada juntamente com as notas da primeira etapa, nos prazos definidos pelo calendário acadêmico. Para quaisquer lançamentos, utilizar a opção Digitação de Notas e Faltas em serviços para professores no Portal.

A data de corte para totalização das faltas da primeira etapa é divulgada semestralmente pelo Departamento de Logística Acadêmica. É fundamental que os professores apresentem as totalizações das faltas (F1) nas classes antes do lançamento no sistema.

Nesta etapa, eventuais divergências entre faltas informadas em sala e lançadas no sistema são tratadas pelos alunos diretamente com os professores, os quais possuem um prazo (definido pelo calendário acadêmico) para eventuais acertos de registros no sistema. Não há procedimentos para pedidos de revisão de faltas via protocolo (Setor de Atendimento) ou via WEB para esta etapa.

Encerrado o prazo de alterações, os registros se tornam definitivos, sem permissão para alterações posteriores.

10.2 Faltas da Segunda Etapa (F2)

A apuração das faltas da segunda etapa (F2) é lançada juntamente com as notas da segunda etapa, nos prazos definidos pelo calendário acadêmico.

O período de totalização das faltas da segunda etapa é aquele compreendido entre o dia imediatamente posterior à totalização de F1 e o último dia de atividades da disciplina (incluindo-se a prova de segunda chamada e eventuais atividades posteriores). É fundamental que os professores apresentem as totalizações das faltas (F2) nas classes antes do lançamento no sistema.

Para a segunda etapa, alunos dispõem de um processo eletrônico para solicitação de revisão, nos caso de divergências entre faltas informadas em sala e lançadas no sistema. As solicitações são efetuadas exclusivamente via WEB, nos prazos definidos pelo calendário acadêmico.

Ao final do período de revisão, são gerados relatórios que permitem quantificar, por disciplina e por professor, as alterações de faltas efetuadas e as respectivas justificativas.

Os relatórios são encaminhados às Coordenações de Curso e utilizados como um dos instrumentos de múltipla avaliação do desempenho docente. Encerrados os prazos de revisão, os registros se tornam definitivos, sem permissão para alterações posteriores pelos professores.

10.3 Avaliação do Desempenho Escolar

A avaliação do desempenho escolar é efetuada por disciplinas. Para cada disciplina, a nota mínima de aprovação é de 6 (seis) pontos, apurados por meio de média aritmética entre as notas obtidas na primeira etapa (Nota 1 ou N1) e na segunda etapa (Nota 2 ou N2).

10.3.1 Primeira etapa (N1)

A primeira etapa compreende um processo de avaliação contínuo, durante o qual são aplicados instrumentos diversos como seminários, exercícios, trabalhos de campo, pesquisas, projetos, provas etc.

A sequência de atividades é organizada pelo professor, o qual possui autonomia para elaborar os diversos instrumentos e ponderar seus pesos na composição da Nota 1 (N1).

No início de cada semestre, o professor deve efetuar a apresentação do plano de ensino e esclarecer os instrumentos de avaliação que serão adotados na primeira etapa, bem como seus respectivos pesos na composição da Nota 1.

As notas da primeira etapa (N1) possuem valor de 0 (zero) a 10 (dez) pontos, com frações de 0,5 pontos, obtidos mediante média aritmética ou ponderada das notas obtidas nos instrumentos de avaliação contínua, a critério do professor.

É fundamental que os professores apresentem e esclareçam os resultados de N1 nas classes antes do lançamento no sistema. Não há processos de substituição de avaliações (provas de segunda chamada ou substitutivas) para a nota (N1) obtida na primeira etapa.

Nesta etapa, eventuais divergências entre notas informadas em sala e lançadas no sistema devem ser tratadas pelos alunos diretamente com os professores, os quais possuem um prazo, definido pelo Calendário Acadêmico, para eventuais acertos de registros no sistema. Não há procedimentos para pedidos de revisão de notas (N1) via protocolo (Setor de Atendimento) ou via WEB para esta etapa.

Encerrado o prazo de alterações, os registros se tornam definitivos, sem permissão para alterações posteriores pelos professores.

10.3.2 Segunda etapa (N2)

Constitui-se numa prova final, individual e escrita, versando sobre todo o conteúdo do semestre, aplicada nos prazos definidos pelo Calendário Acadêmico (Semana de Provas Finais).
Em caráter excepcional, disciplinas com características peculiares e nas quais não seja possível aplicar uma avaliação escrita poderão ter outro formato de avaliação final, mediante autorização pela coordenação do curso.

As notas de segunda etapa (N2) possuem valor de 0 (zero) a 10 (dez) pontos, com frações de 0,5 ponto. É fundamental que os professores apresentem e esclareçam os resultados da N2 nas classes antes do lançamento no sistema.

10.3.3 Vista de Prova e Revisão de Prova

Para a segunda etapa, é concedido ao aluno o direito à Vista de Prova, que consiste, exclusivamente, na verificação da prova corrigida.

1. A vista de prova, realizada perante o professor, em data definida pelo Calendário Acadêmico, não comporta a discussão dos critérios de correção utilizados e não contempla a revisão de frequência.

2. O aluno, em caso de dúvida, pode requerer Revisão de Prova em formulário próprio, protocolado junto à Central de Atendimento ao Aluno no período da vista de prova, indicando as questões sujeitas ao ato, com exposição de motivos e a adequada fundamentação.

2.1 Os pedidos são sujeitos à cobrança de uma taxa. Em caso de deferimento do pedido (alteração do registro de nota), a cobrança da taxa não é aplicada. Em caso de indeferimento do pedido (nota não alterada), a cobrança da taxa é aplicada no boleto, cuja geração ocorre imediatamente após o resultado do processo.

3. Não há segunda oportunidade de vista e de revisão.

4. A revisão pode ser requerida somente com a presença do aluno no ato da vista de prova.

4.1 Deferida e realizada a revisão por professor designado pela Coordenação, esgota-se definitivamente a via recursal.

5. Não é objeto de análise o pedido de revisão:
a) apresentado por aluno ausente na data da vista de prova
b) carente de fundamentação;
c) suportado no intuito de inserção de acréscimo na nota publicada.

6. Eventual retificação de nota, decorrente de erro material, verificado na pontuação atribuída ao aluno, é realizada na oportunidade da vista, pelo próprio professor, não sendo necessária a solicitação de revisão via Central de Atendimento ao Aluno.

7. Encerrados os prazos de revisão, os registros se tornam definitivos e não serão permitidas alterações posteriores pelos professores.

7.1 A ausência à avaliação e à vista de prova comporta, apenas, justificação na forma da lei, a ser apresentada por meio de requerimento, acompanhado pelo documento comprobatório hábil.

8. Não há vista de prova, nem pedido de revisão, para as provas de Segunda Chamada (Substitutivas), não cabendo, portanto, recurso.

10.3.4 Provas de Segunda Chamada

Alunos ausentes à prova final têm direito à realização de uma Prova de Segunda Chamada, aplicada nos prazos definidos pelo Calendário Acadêmico.

A Prova de Segunda Chamada se aplica única e exclusivamente a alunos ausentes à Prova Final. Não é permitida a realização de prova de segunda chamada em determinada disciplina para alunos que tenham realizado a Prova Final da mesma.

Não há necessidade de solicitação formal de provas de segunda chamada pelo aluno, tampouco apresentação de justificativas. Para sua realização, o aluno deverá comparecer à sala de aula na Semana de Provas de Segunda Chamada, durante o horário regular da disciplina, para realização da prova.

As notas das Provas de Segunda Chamada (Substitutivas) possuem valor de 0 (zero) a 10 (dez) pontos, com frações de 0,5 ponto. Não há vista de prova, nem pedido de revisão, para as provas de Segunda Chamada (Substitutivas), não cabendo, portanto, recurso.

10.4 Cálculo da Média Final

A média final de cada disciplina é calculada por meio da média aritmética entre a Nota 1 (N1) e a Nota 2 (N2), ou por meio da média aritmética entre a Nota 1 (N1) e a Nota da Prova de Segunda Chamada, nos casos de alunos ausentes à Prova Final e que tenham realizado esta última.

Nos casos de ausência à Prova Final e ausência à Prova de Segunda Chamada em determinada disciplina, a média final da mesma corresponderá à Nota da Primeira Etapa (N1) dividida por 2 (dois), estando o aluno reprovado na mesma, independentemente da freqüência obtida.

As médias finais possuem valor entre 0 (zero) e 10 (dez) pontos, com frações de 0,5 ponto e são calculadas automaticamente pelo Sistema de Gestão Acadêmica, sem intervenção dos professores.

Médias finais com frações de 0,75 são automaticamente arredondadas para a unidade imediatamente posterior (por exemplo: de 7,75 para 8,0). Médias finais com frações de 0,25 são automaticamente arredondadas para a fração de 0,5 imediatamente posterior (por exemplo: de 7,25 para 7,5).

É considerado aprovado em determinada disciplina o aluno que obtiver média final igual ou superior a 6 (seis) pontos, garantida a freqüência mínima de 75% às atividades da mesma. É considerado reprovado em determinada disciplina o aluno que obtiver média final inferior a 6 (seis) pontos, independentemente da freqüência obtida na mesma, ou freqüência inferior a 75%, independentemente da média final obtida.

Em caso de reprovação, a disciplina deverá ser cursada novamente em regime de dependência, aplicando-se os mesmos critérios de aproveitamento e freqüência utilizados para as disciplinas regulares. Serão rigorosamente mantidas as definições de pré-requisitos quando existirem, podendo, este fato ser gerador de impedimento de matrícula.

11 – Trabalhos Domiciliares para Compensação de Faltas

A legislação educacional brasileira não permite abonos de faltas. É concedido ao aluno o direito de realização de trabalhos domiciliares de compensação de faltas, nos casos de doenças infecto-contagiosas, traumatismos ou outras justificativas médicas que impeçam a frequência normal às atividades, comprovados por atestado médico.

Nos casos de alunas gestantes, é concedido o direito de exercícios domiciliares a partir do oitavo mês de gestação, pelo prazo de 90 (noventa) dias.

Importante: Não é permitido ao professor conceder abonos de faltas mediante a apresentação de atestados médicos pelos alunos.

Nos casos de faltas eventuais, quaisquer que sejam os motivos, o aluno deve usufruir o direito de ausência a 25% da carga horária da disciplina.

Em caso de afastamentos mais prolongados, decorrentes de doenças infecto-contagiosas ou outros impedimentos médicos, orientar o aluno a comparecer na Central de Atendimento ao Aluno, para que seja iniciado um processo de exercícios domiciliares de compensação de faltas. Não atribuir trabalhos informais aos alunos.

11.1 Atribuição e correção de trabalhos domiciliares

A atribuição de trabalhos domiciliares pelos professores ocorre única e exclusivamente por meio de processos encaminhados pela Central de Atendimento ao Aluno/Secretaria de Registros Acadêmicos/Central de Atendimento ao Professor.

Os temas dos trabalhos, bem como sua extensão, deverão ser correspondentes ao período de ausência do aluno e respectivos conteúdos desenvolvidos em cada disciplina.

Quando solicitado, o professor deverá atribuir os trabalhos e indicar o prazo para realização pelo aluno. Solicitamos especial atenção dos professores em atender prontamente às solicitações.

O trabalho de compensação de faltas não poderá ser utilizado como avaliação para convalidação de nota.

Quando da entrega do trabalho pelo aluno, o mesmo será encaminhado ao professor para correção. O prazo para correção e devolução do trabalho na CEAP – Central de Atendimento ao Professor é de 5 (cinco) dias úteis.

Ao final da correção, o professor deverá atribuir um entre dois resultados: compensadas e não compensadas

Se considerado satisfatório – compensado em determinada disciplina, o exercício facultará a compensação das faltas na mesma, durante o período documentado de afastamento.

Se considerado insatisfatório – não compensado para determinada disciplina, o exercício deverá ser refeito. Para tanto, o aluno será notificado pela Central de Atendimento ao Aluno e convocado a retirar novamente a atribuição, com novo prazo para entrega.

Se o exercício for considerado novamente insatisfatório – não compensado para a mesma disciplina, o aluno perderá o direito de compensação de faltas na mesma e arcará com as faltas atribuídas durante o período de afastamento

Nos casos de alunas gestantes, os procedimentos são os mesmos aplicáveis nos casos de trabalhos de compensação de faltas decorrentes de doenças infecto-contagiosas e traumatismos.