Metodologias Ativas – Anhembi Morumbi

10h31

Muito tem se falado sobre metodologias ativas no ambiente universitário. Esse modo de conduzir o ensino não é nenhuma novidade, mas tem se tornado uma realidade cada vez mais frequente nas instituições de ensino de diversos países, inclusive no Brasil.  Nessa metodologia, os estudantes são incentivados a serem agentes de seu aprendizado, tendo o professor como o facilitador do processo de aprendizagem em sala de aula.

Aqui na Universidade Anhembi Morumbi isso já é uma realidade e as metodologias ativas são praticadas em nossos cursos, colocando nossos alunos como parte ativa do processo de aprendizagem, o que acaba por gerar resultados que podem ser percebidos em diversos indicadores de qualidade de ensino e mercadológicos.

Conversamos com o Reitor da Anhembi Morumbi, Prof. Paolo Tommasini, para entender um pouco mais sobre as características dessa metodologia de aprendizagem, que propõem maior engajamento e comprometimento por parte dos estudantes.

Quais são os principais desafios dos educadores na hora de considerar  que tipo de metodologia de ensino utilizar?

Prof. Paolo – Como instituição de ensino, precisamos considerar que pessoas diferentes aprendem de formas e tempos diferentes e que nós, enquanto educadores, precisamos ter sensibilidade para identificar as particularidades de cada um de nossos alunos. Outro ponto importante que deve ser observado no processo de formação do indivíduo é a relação do aluno com a sala de aula. O estudante deve ser estimulado a atuar ativamente na aula, tendo imediatamente o feedback de sua performance. Esse tipo de engajamento promove o real aprendizado.

Como as Metodologias Ativas facilitam a aquisição das competências exigidas pelo mercado de trabalho?

Prof. Paolo – As Metodologias Ativas são fundamentais para que o aluno adquira as competências exigidas pelo mercado de trabalho. Elas permitem que a competência seja adquirida em níveis crescentes de complexidade, como lembrar, entender, aplicar, analisar, sintetizar e criar. Para tanto, é preciso a participação ativa do estudante em sala de aula, de seu comprometimento com o tempo de estudo individual ou em grupo e, principalmente, do seu envolvimento com o projeto pedagógico do curso em que está inserido. Incluindo o envolvimento em atividades e projetos co-curriculares que são fundamentais para a capacitação de nosso estudante. Por isso, incentivamos nossos alunos a participarem de iniciativas de extensão e conexão com comunidades, como também buscar pesquisas ou atividades relacionadas à sua área de estudo, pois estas contribuem para a formação do futuro profissional.

 Assista abaixo  ao vídeo do Prof. Paolo Tommasini e conheça mais sobre as Metodologias Ativas de Aprendizagem.