Apresentação

A Comissão Própria de Avaliação (CPA) da Universidade Anhembi Morumbi é responsável por articular e coordenar a avaliação interna da Instituição, também conhecida como autoavaliação institucional, observando as diferentes dimensões do universo acadêmico. Para isso, a comissão é formada por diferentes membros, representantes dos vários segmentos da comunidade acadêmica e da sociedade civil organizada.

Na Universidade Anhembi Morumbi, a principal ferramenta de autoavaliação é o ISED (Índice de Satisfação do Estudante e Docente), em que todos os membros da comunidade acadêmica – professores, estudantes, técnicos –, administrativos e ex-alunos são convidados a participar do processo avaliativo. Seu principal objetivo é promover a Melhoria da Qualidade Acadêmica em todos os níveis:

  • Infraestrutura em geral – como laboratórios, salas de aula, equipamentos e serviços;
  • Gestão – como centrais de atendimento ao aluno, setor financeiro e call center
  • Acadêmico – como professores, estágios, iniciação científica e demais atividades de ensino e aprendizagem.

Os processos de avaliação conduzidos pela CPA subsidiam o credenciamento e recredenciamento da Instituição junto ao MEC, bem como o reconhecimento e a renovação de reconhecimento dos cursos de graduação e pós-graduação oferecidos.

Os dados quantitativos e qualitativos gerados durante a aplicação da autoavaliação (ISED) são minuciosamente analisados, tabulados e apresentados para os diretores, gestores e reitores. A partir disto, são gerados indicadores que orientam o planejamento e a implantação de ações de melhorias na Instituição.

Neste portal, você poderá obter informações relacionadas à Comissão Própria de Avaliação, suas ações e assuntos relacionados. Caso tenha dúvidas, críticas ou sugestões, entre em contato pelo Fale Conosco.

Seja bem-vindo!

Comissão Própria de Avaliação (CPA)

Desde a implantação do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (Sinaes), pelo Ministério da Educação, por meio da Lei 10.861, de 14 de abril de 2004, a Universidade Anhembi Morumbi instituiu a Comissão Própria de Avaliação (CPA), cuja função é promover a autoavaliação institucional considerando, obrigatoriamente, cinco eixos:

  • Eixo 1 – Planejamento e Avaliação Institucional
  • Eixo 2 –Desenvolvimento Institucional
  • Eixo 3 –Políticas Acadêmicas
  • Eixo 4 –Políticas de Gestão
  • Eixo 5 – Infraestrutura

A CPA da Universidade Anhembi Morumbi utiliza como principal ferramenta de autoavaliação o ISED – Índice de Satisfação do Estudante e Docente, que tem o objetivo de identificar as condições do ensino, da pesquisa, da extensão e da gestão, suas potencialidades e fragilidades. Desta forma, a CPA tem como função coordenar e articular o processo de autoavaliação nos seis câmpus da Instituição que são: Mooca, Vila Olímpia, Morumbi, Paulista 1, Paulista 2 e Vale do Anhangabaú, além de avaliar o ensino a distância (EAD) e a pós-graduação. É também responsabilidade da CPA fortalecer as ações de responsabilidade social da instituição, bem como promover os valores democráticos, o respeito à diversidade, a busca da autonomia e a afirmação da identidade institucional.

Como a CPA atua com autonomia em relação a conselhos e demais órgãos colegiados e administrativos existentes na Anhembi Morumbi, além da função de autoavaliar, também deve analisar, comparar, questionar, criticar e propor estratégias de melhoria em uma perspectiva qualitativa educacional, científica e social, levando em conta os aspectos técnico, político, cultural, social e ético da Instituição.

São funções da CPA:

  • Realizar a avaliação institucional com toda a comunidade acadêmica;
  • Organizar e analisar os resultados da avaliação institucional;
  • Divulgar os resultados;
  • Acompanhar a implantação de ações de melhoria da qualidade;
  • Auxiliar e orientar o planejamento institucional.

Também, de acordo com a Lei nº 10.861/2004, a CPA tem a atribuição de conduzir os processos de avaliação internos da Instituição, bem como sistematizar e prestar as informações solicitadas pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) por meio de relatórios anuais.

A constituição da CPA obedecerá às seguintes diretrizes:

I – Constituição por ato do dirigente máximo da instituição de ensino superior, ou por previsão no seu próprio estatuto ou regimento, assegurada a participação de todos os segmentos da comunidade universitária e da sociedade civil organizada, e vedada a composição que privilegie a maioria absoluta de um dos segmentos;

II – Atuação autônoma em relação a conselhos e demais órgãos colegiados existentes na instituição de educação superior.

Legislação

Uma série de leis foram criadas pelo Ministério da Educação (MEC) para normatizar e organizar os processos de avaliação realizados nas Instituições de Ensino Superior (IES).

Dentre elas estão a Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional (LDB), o Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES) e o Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes (ENADE).

Atualmente, o SINAES é a principal ferramenta de avaliação superior desenvolvida pelo MEC – Lei n° 10.861, de 14 de abril de 2004 –, sendo formado por três componentes principais: a avaliação das instituições, dos cursos e do desempenho dos estudantes. Seu objetivo é avaliar todos os aspectos que gravitam em torno desses três eixos, como ensino, pesquisa, extensão, responsabilidade social, desempenho dos alunos, gestão da instituição, corpo docente e instalações.

O ENADE é um instrumento do SINAES e um componente curricular obrigatório dos cursos de graduação. Seu desígnio é aferir o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências.

Caso deseje conhecer o texto integral de algumas leis importantes do sistema educacional, clique nos links abaixo:

 

Avaliação Institucional – ISED

Índice de Satisfação Estudante e Docente (ISED) é um importante instrumento de gestão educacional, implantado pela Reitoria como parte integrante do Programa de Melhoria da Qualidade da Universidade Anhembi Morumbi. O ISED foi concebido para avaliar todas as dimensões envolvidas na educação superior, que compreendem ensino, pesquisa, extensão e gestão acadêmica/administrativa na graduação e pós-graduação. Dentro de um contexto geral, esta ferramenta de gestão da qualidade engloba analisar a atividade acadêmica, a gestão e a infraestrutura da Universidade.

São avaliados os cursos presenciais de graduação, tecnólogos e de pós-graduação em todos os câmpus da Instituição. O programa é executado com foco nos recursos humanos, na infraestrutura e baseando-se no olhar responsável e compromissado do estudante a respeito de todos os aspectos acadêmicos da Universidade, somado à autoavaliação dos professores e dos coordenadores de cursos.

O ISED é realizado pelo aluno de maneira voluntária e sigilosa, nos laboratórios de informática, em horários de aula, conforme cronograma a ser divulgado no período. A amostragem mínima é de 30 alunos por turma – emitida aleatoriamente pelo sistema –, sendo que, na ocorrência de turma com menos de 30 (trinta) alunos, todos devem responder aos quesitos.

É importante frisar que os estudantes são convidados, e não convocados, a participar da avaliação. Se houver recusa(s), cabe ao professor convidar outro(s) aluno(s) para que o número mínimo (30) seja mantido. Por isso, a participação de cada um é valiosa e essencial.

Após cada etapa da avaliação, os resultados são analisados pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) de maneira detalhada e convertidos em gráficos-tabelas, gerando indicadores que são avaliados em conjunto com a Diretoria de Qualidade e Regulação Acadêmica, coordenadores, Desenvolvimento Pedagógico (DEPED), Pró-reitoria Acadêmica e Reitoria, com total transparência. Estes resultados são transformados em indicadores que são utilizados no planejamento de ações de melhorias acadêmicas e administrativas

Os quesitos, professores, profissionais dos diferentes departamentos e serviços, avaliados com conceitos não-satisfatórios, ou seja, índice de satisfação inferior a 70%, devem elaborar os Planos de Melhorias (PMs), que são encaminhados a cada gestor, coordenador, diretor, pró-reitor e reitoria, pela Diretoria de Qualidade e Regulação Acadêmica e acompanhados durante o semestre, visando uma melhor performance na próxima avaliação. Conforme já mencionado, o objetivo dos Planos de Melhorias é auxiliar os gestores a preservar e aprimorar a qualidade de ensino da Universidade Anhembi Morumbi.

Diferente dos objetivos de avaliação de conteúdo das disciplinas, neste tipo de avaliação o foco é produzir mudanças nas atitudes, valores e comportamentos, visando criar a cultura da Qualidade.

Para conferir os resultados do ISED, clique no ano desejado:

ENADE

Como parte integrante do Sistema Nacional de Avaliação da Educação Superior (SINAES), o Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (ENADE) é realizado por amostragem e tem o objetivo de avaliar o rendimento dos alunos dos cursos de graduação em relação aos conteúdos programáticos, suas habilidades e competências.

A participação no Exame consta no histórico escolar do estudante ou, quando é o caso, sua dispensa pelo Ministério da Educação (MEC). A seleção dos participantes é feita pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais e pelo MEC a partir da inscrição, na própria instituição de ensino superior, dos alunos habilitados a fazer a prova.

Devem se inscrever para o ENADE os estudantes do primeiro e último anos de cada curso superior. O Exame prevê uma avaliação por amostragem por meio de sorteio dos inscritos. Nesse caso, apenas os alunos que forem sorteados terão a obrigatoriedade de comparecer ao exame sob pena de não receber o diploma. Dessa forma, os cursos passam a ser avaliados a cada três anos.

Fale conosco